Tags

, ,

foto da mão com a água caindo em cimaDepois de duas semanas sem ir a yoga, voltar me fez um bem…

Mas, nesta semana, por falta de tempo, fiz,  pela segunda vez , yoga no chuveiro!

No chuveiro não da para fazer uma série de posturas, mas chego a variar entre três e quatro em uma sequência fluida, vagarosa e ritmada pela respiração.

Claro que não é indicado, você pode escorregar, bater a cabeça e etc…mas, com cautela e limite,  permite direcionar a água para bater onde é mais necessário no momento, e então, além de respirar e flexibilizar o local,  ainda receber uma água forte, quentinha e corrente no mesmo…garanto que desestrutura qualquer tensão…

Algumas pessoas acham que quem tem um trabalho criativo não tem tensões profissionais…um verdadeiro equívoco! Elas existem e como!!!

Eu já passei por várias, fora as cotidianas… por exemplo: colocar um programa no ar e torcer para que tudo esteja de acordo com o que você viu sair da ilha de edição; apresentar uma idéia, mesmo que muito boa, para pessoas da área comercial; torcer para que a peça, da qual faço o blog, corresponda as expectativas que ajudei a fomentar…nada disso passa por mim sem um pouco de apreensão, no mínimo,  ou mesmo com tensão e dores.

Mesmo trabalhando com cultura, arte, seja lá com o que for, fazer o que você realmente gosta , ajuda muito e diminui a parte difícil do negócio! Porque quando você gosta, fica mais seguro, naturalmente mais relaxado e se ajuda a respirar, sentir o momento certo, pensar antes de agir, responder na medida à uma provocação – porque sempre tem, em qualquer área!

Os  Monólogos da Marijuana, a peça da qual faço o blog,  já estreiou no  Teatro dos Quatro. Assisti a dois dias seguidos. Um para participar da estréia e outro, para sozinha, me entregar à brincadeira. E eu realmente me diverti! Ri muito.

Gosto de entrar no comecinho das histórias que acredito. Através delas me realizo, quando contribuo para que se realizem com o que tenho para oferecer:  trabalho, alegria e prazer.

Outra coisa que ajuda a relaxar na tensão, está clara aqui nesta frase da Rita Lee, que uma amiga postou outro dia no facebook e com a qual me identifico: “desviar do estilingue, deixar que me xinguem e tomar banho de sol…”

Porque em alguns momentos, é sem dúvida, o melhor a fazer!!!

E ir em frente como as gaivotas , respirando e sentindo se vai ser dia de sol ou se o céu já vai se arrumar para chuver de repente.

E voar mesmo assim, livre, mas sempre dentro de uma corrente… porque não adianta nada ser livre e ficar o tempo todo remando contra a maré!

Hoje, na Revista de domingo,  a Martha Medeiros mandou muito bem : “Ser uma pessoa adequada e livre – simultaneamente- é uma senhora ambição. Demanda a energia de uma usina. Para que se consumir tanto ?”

Clique aqui se você quer ver  a Rita Lee cantando Baila Comigo

Caso queira ler outros textos sobre yoga ou música vá na coluna da direita e escolha a categoria correspondente.

Anúncios